Tributo a Pipoca

Certo dia o sair para minhas perambulações, deixei meus animais bem guardados, cada um em seu território, pois havia fêmea no cio e manter os machos afastados era tarefa bem difícil, demorei mais que o previsto e ao retornar, surpresa, o Lobo havia pulado a cerca de dois metros e se  encontrava todo lampeiro no canil de sua irmã Pitiê, o serviço ele já tinha feito, a cruza já tinha realizado ele rebolava de alegria e ela se encolhia sabendo que havia feito arte, o destino estava traçado, não havia mais volta, Pitiê estava prenha, provou que mantê-los afastados das fêmeas no cio era tarefa impossível e após 60 dias o nascimento de uma linda ninhada, encantadores eles são, o difícil é que precisa distribuí-los, mais difícil ainda encontrar um lar descente, pois seres humanos são indecentes e na primeira oportunidade os descartam feito objeto inanimado, sem dó nem piedade, após muita busca pensei haver encontrado adotantes e seriam todos distribuídos, pois a casa havia se tornado pequena demais para tantos animais, nessa época haviam uns doze, quatro se foram, vieram buscá-los, seus destinos, só o universo pode saber, certa vez ao passar pela chácara onde estavam ouvi seus latidos, o coração quase parou de emoção, pois eram latidos muito familiares, depois disso só mesmo a divina providencia.

 

O destino traçado me quebrou o dedinho do pé e fiquei impossibilitada de entregar os dois restantes, que é claro após dois meses de idade já não é mais possível deixá-los partir, a razão diz sim o coração grita não, pois o amor toma conta de tudo, resultado Pipoca e Pulenta passaram a ser minhas mascotes, pois tomei a decisão de vasectomizar os machos, já que afastá-los das fêmeas no cio já sabia ser tarefa impossível só assim a felicidade seria completa, eles poderiam namorar a vontade e não apareceriam filhotes, e assim foi, virou o paraíso terrestre, era cachorro grudado pra todo lado, eu ia e voltava e eles grudados, seguindo seu destino porém sem deixar prole, prole pra que, pra serem abandonados? Seguir pelas ruas com toda sorte de maldades que o ser “humano” é capaz.

 

Mas como tudo caminha, flui, seus destinos também foram seguindo e como suas vidas são pequenas demais, cedo se foram, tudo passou como instantes e só a saudade povoa meu coração e a certeza de ter lutado para lhes proporcionar o melhor, nem sei se consegui fazê-los feliz, ao menos tentei.

 

E assim chegou o fim

 

Pipoca morreu e a dor me consome, são sentimentos ambíguos de libertação e dor, a dor de quem perde algo precioso, muito precioso que te acompanhou por dez anos e meio dessa vida, dez anos de dedicação e amor, de repente se vai, deixando saudade imensa, mas precisava ir estava sofrendo, chegou sua hora, mas é muito triste imagina-la morta em uma geladeira e depois cremada, vai virar pó, mas o que será melhor virar pó, virar carniça, ou virar cinza, meu coração está de luto por você Pipoca querida, está sendo duro passar este momento, mas tenho que continuar cuidando de sua irmã Bu, ela está sentindo sua falta também já está velhinha, Pipoca querida que saudade, que saudade, é só o que sinto a sua falta pela casa, a sua falta ao redor de mim, seu doce sorriso, seu doce latido, seu suave olhar, sua elegância, sua brancura seu amor, Pipoca que ao ser solicitado dava licença, subia na cama para dizer que não estava bem, pedia colo quando tinha medo e não sei mais o que dizer, sei que te amo muito, me perdoa se não lhe socorri a tempo, talvez você ainda ficasse mais um pouquinho comigo, talvez não, parece que sua hora chegou mesmo, eu senti isso e tentei te fazer mais feliz possível, sei que você queria comer um osso, e eu não lhe dei, mas era porque lhe fazia mal, sei devo ter sido egoísta fazendo assim, pois assim teria você mais um pouquinho comigo, dei um pedacinho de bolo de chocolate e você adorou, queria mais e não lhe dei para que não lhe fizesse mal, não queria ser cruel, queria apenas lhe proteger, mas acho que você já estava cansada de viver assim tão protegida, você queria namorar e eu toquei o cachorro embora, aquele que invadiu aqui, que quebrou a grade, Pipoquinha querida reinará eternamente em meu coração, meu amorzinho, neta da XU, parece que estou vendo tudo acabado, meu elo com esta terra, esta vida que venho vivendo tudo esquisito, como foi que vim parar neste lugar, que coisa mais esquisitas, meu Deus como vou conseguir encontrar o meu caminho, estou perdida nesta terra, muito perdida, senhor me mostra que caminho seguir, já não sinto acolhida junto aos meus, que saudade, como é que pude me perder tanto assim nesta minha vida, que porcaria encontrar alguém pra marido que me fez viver uma enrascada dessas.

Anúncios

Sobre Nilza Rodrigues

Um ser em constante evolução, olhos no horizonte, cabeça nas estrelas, pé no chão, alguns empurrões ao abismo e venho fazendo a subida, ardua e longa, ainda me encontro enclausurada, mas chegará o dia que dele sairei gloriosa. Amante dos animais, natureza, humildes, grandes de alma, universo em evolução. Auto disciplina, estilo e humildade são meus caminhos na vida
Esse post foi publicado em Passatempos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s