Flor do sabugueiro

Flor milagrosa

Medicinal

Nasci com uma imensa vontade de aprender, uma curiosidade incontrolável de conhecimento, assim aos 7 anos, mamãe que era semi analfabeta, comprou uma cartilha e me ensinou as primeiras letras, fiquei encantada de tal forma com a cartilha que rapidamente decorava as primeiras lições e convidava mamãe para brincar de me ensinar, ao chegar na lição da macaca eu já havia aprendido a soletrar e ninguém mais me segurava, onde via algo escrito la ia eu a soletrar e fazer as perguntas para saber o que significava aquilo, tudo era novidade, tudo era encantador, me envolvia naquele mundo das letras de tal maneira que me sentia o máximo, eu já sabia ler, que emoção.

Este ano dos meus 7 anos foi incrível, viajamos para a cidade de Aparecida do Norte para pagar a promessa que mamãe fez quando eu era bebe, promessa para que eu mamasse, pois desde essa época já não gostava de leite, e recusava o peito, promessa feita comecei a mamar ai então aos 7 anos me levaram para pagar, fomos de ônibus, embarcamos na antiga rodoviária de Sampa, uma bem bonita cheia de vitrais coloridos ali pelos lados da estação da luz, voltamos de táxi, o maximo, a estadia la foi bem legal, meu irmãozinho se perdeu, ele era terrível, saiu correndo em volta da antiga matriz no meio da multidão e difícil foi encontrar.

Nesse ano foi comprada nossa casa, onde nossa estória começaria a ser escrita de verdade, a estória de nossa pequena família, mudamos em 24 de setembro, no inicio do outro ano fui para a escola, a que felicidade, me sentia mal e nada disse, minha mãe me deu um banho na baciona de alumínio que tinha para essas ocasiões, eu fui meio tonta para a escolinha, toda arrumada de uniforme, fita na cabeça e malinha de material, mas ao chegar a professora me mandou de volta “essa menina está com sarampo, não pode ficar no meio das outras crianças, voltei pra casa aos berros e para me acalmar disse a mamãe que queria costurar na maquina, já tinha alma de estilista, não teve jeito e deixou, a primeira coisa que fiz foi enfiar a agulha no dedo mindinho, ai acabou a brincadeira, estava verdadeiramente mal com o sarampo, a febre foi ficando alta e à noite tive delírios e agarrei a camisola de mamãe, nessa época meu avô materno vivia em casa e foi minha salvação, era um homem meio bruxo, multi-midia se diria nos dias atuais, fazia de tudo um pouco, foi dono de jardineira, muitas terras, gado, prefeito de cidade, professor e até coveiro quando perdeu na política, era de Vila Rica, falava até da inconfidência, assim saiu pelas ruas a procurar pela flor do sabugueiro, uma erva que já havia visto pelas redondezas e sabia ser benéfica ao tratamento de febres, fizeram o chá e me salvei do sarampo,  sendo então iniciada no costume ao tratamento com ervas medicinais.

Anúncios

Sobre Nilza Rodrigues

Um ser em constante evolução, olhos no horizonte, cabeça nas estrelas, pé no chão, alguns empurrões ao abismo e venho fazendo a subida, ardua e longa, ainda me encontro enclausurada, mas chegará o dia que dele sairei gloriosa. Amante dos animais, natureza, humildes, grandes de alma, universo em evolução. Auto disciplina, estilo e humildade são meus caminhos na vida
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s