Arquivo do mês: dezembro 2012

Triste

Fico pensando sem entender que lavagem cerebral é essa que fizeram na humanidade, afinal parece que é a humanidade inteira a se esfalfar nessa festança maluca de passagem de ano, numa histeria coletiva,quero entender qual é a satisfação de ver … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Extase

Que paixão é essa que invadiu minha vida, Que paixão é essa que faz meu coração rejuvenescer, Que paixão é essa que me faz voltar no tempo, Que paixão é essa que surgiu em minha vida,     Que paixão … Continuar lendo

Publicado em Passatempos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Vitrolinha Portátil

Inicio anos 70 tinha um sonho, possuir um toca discos, sempre amei música, mas a grana curta não oportunizava ter um aparelho desses. Trabalhando em Lojas Americanas, um grande sonho, onde consegui abandonar a profissão de costureira industrial, que me … Continuar lendo

Publicado em Passatempos | Marcado com , , | Deixe um comentário

Canto do encanto

Longos dias fugidios, Tudo pairando no ar, Como se nunca chegar, Espera desnorteante Sem saber onde pisar, As idéias vem e vão, Não encontram solução,   Beija flor a encantar, Para fascinar a alma Borboletas a sugar, Fugir de tal … Continuar lendo

Publicado em Passatempos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Poeira cósmica

Me fizeram ser carne, Me fizeram ser gente, Me fizeram com sentimentos profundos, Das entranhas captaram o DNA de antigos ancestrais, E assim me tornaram carne, gente, Busco nas profundezas do ser, Para que ser, Ser carne, ser gente, Ser … Continuar lendo

Publicado em Passatempos | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Embate

Dois seres se encontrame se tornam um, Como se fossem essência única, Unem suas vidas, ganham asas E se transportam a outro mundo, Mas era mentira, Tudo mentira, O sonho se transformou em pesadelo, Uma vida se desintegrou, Enquanto um … Continuar lendo

Publicado em Passatempos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Choro da alma

Tentando a calma, do alvoroço da alma, Tentando entender os reveses dessa existencia, Sem nada entender, minha alma chora, Entes queridos, fugidos, distantes, Assombroso destino que nos persegue, Tanto fazemos e nada temos, Tanto tentamos, Chegamos perto E tudo escoa … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , | 1 Comentário